Divulgação Semanal nº 14

Pré-Aviso de Greve

Caro associado, chegou da Fesaht aviso de Pré-Aviso de Greve para o próximo dia 15 de Outubro.

Deixamos aqui documento para consulta.

CONVITE
AHETA E UNIVERSIDADE ABERTA ASSINAM PROTOCOLO

Caros Associados,

A AHETA- Associação De Hotéis e Empreendimentos Turísticos e a Universidade Aberta, assinam no próximo dia 29 de setembro um protocolo de colaboração, às 14.30 horas.

Este protocolo pretende essencialmente aproximar a Universidade às empresas associadas da AHETA permitindo assim que as mesmas possam prosseguir um plano formativo e superior para os seus colaboradores e dirigentes.

No âmbito da cerimónia, terá lugar uma Comunicação sob o tema ‘A Hotelaria e a Sustentabilidade -o cumprimento das ODS, um requisito global’, pela Prof. Doutora Sandra Caeiro e p/ Prof. Doutor João Simão.

O programa do evento é o seguinte:

Orientações gerais quanto à aplicação do IVA sobre embalagens de Take Away

Caros associados, a quem possa interessar, segue abaixo informação da nossa assessoria jurídica

A AT emitiu informação relativa aos procedimentos de aplicação à contribuição sobre as embalagens, por Ofício-Circulado 35.174 de 10/08/2022 da Direção de Serviços dos Impostos Especiais de Consumo e do Imposto Sobre Veículos.

Salienta-se que este ofício revogou o Ofício-Circulado DSIEC/ISV, 35.170 de 01/07/2022.

De acordo com a orientação exarada no documento referido – que se anexa – resulta:

  1.  O valor da contribuição integra a base tributável do IVA, nos termos do artigo 16.º n.º 5 alínea a) do CIVA e, portanto, está sujeita a tributação.
  • No que respeita à taxa aplicável, a informação encontra-se disponibilizada no Portal das Finanças e dela resulta que ao valor da contribuição deve ser aplicada a taxa intermédia de IVA, de 13%.

No caso de se tratar de contribuição de embalagens de utilização única, transmitidas fora do âmbito do fornecimento de refeições prontas a consumir, nos regimes de pronto a comer ou com entrega ao domicílio, nomeadamente, entre produtores, grossistas e retalhistas, são tributadas à taxa normal do IVA, de 23%.

Estas informações são as que resultam do entendimento dos serviços da AT que aqui se reproduzem:

O valor da contribuição integra a base tributável do IVA, nos termos do artigo 16.º n.º 5 alínea a) do CIVA. No que diz respeito à taxa ou taxas de IVA aplicáveis, deverão ser consultadas as “Perguntas Frequentes” elaboradas e publicadas nesta matéria pelos serviços competentes (DSIVA), na área do IVA do Portal das Finanças. (CFR.:” XII – Incidência do IVA”).

Compulsada esta área (endereço: https://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_contribuinte/questoes_frequentes/Pages/faqs-00930.aspx) , cuja publicação se junta, temos:

. Assim, na fatura a emitir pela venda das refeições prontas a comer, deve ser aplicada a taxa intermédia do IVA (13%) à refeição propriamente dita, ao valor da embalagem (na eventualidade de ser cobrado) e ao valor da contribuição (obrigatoriamente cobrado), devendo discriminar estes valores.

E:

Os valores correspondentes a embalagens de utilização única (descartáveis) e respetiva contribuição integram o valor tributável das refeições vendidas no regime de pronto a comer e levar ou com entrega ao domicílio, sendo-lhes aplicável a taxa intermédia de IVA (13%).

E:

As embalagens de utilização única e respetiva contribuição, transmitidas fora do âmbito do fornecimento de refeições prontas a consumir, nos regimes de pronto a comer ou com entrega ao domicílio, nomeadamente, entre produtores, grossistas e retalhistas, são tributadas à taxa normal do IVA (23%).

O valor tributável sujeito a IVA corresponde ao valor de refeição propriamente dita + embalagem + contribuição, acrescendo IVA à taxa intermédia (13%). Assim, por exemplo, se a refeição tiver um valor base de € 10,00, o valor a faturar ao cliente será:

Base tributável (€ 10,00 + € 0,20 + € 0,30) = € 10,50

Valor imposto € 10,50 X 13% = € 1,37

Valor a faturar € 10,50 + € 1,37 = € 11,87

Ainda sobre o mesmo tema, estabelece:

Na venda de refeições prontas a consumir, nos regimes de pronto a comer ou com entrega ao domicílio, a fatura deve obrigatoriamente discriminar* o valor da respetiva contribuição, bem como:

– A designação do produto como «embalagem de utilização única»;

– O número de unidades vendidas ou disponibilizadas;

– O valor cobrado a título de preço, incluindo a contribuição devida.

Divulgação Semanal nº 13

As divulgações semanais dos associados da AHETA!

Never Ending Summer Marina de Albufeira

Caros associados, informamos que de 16 a 18 de Setembro o Never Ending Summer regressa à Marina de Albufeira.

Serão 3 dias de animação, com música, gastronomia e vinhos, arte, desporto, artesanato e muito mais.

Deixamos abaixo o programa completo para os 3 dias.

VI Cimeira do Turismo Português

Caros associados, remetemos abaixo informação da Confederação do Turismo de Portugal, relativa ao assunto em epígrafe, a qual passamos a transcrever:

“A Confederação do Turismo de Portugal vai assinalar o Dia Mundial do Turismo com a realização da VI Cimeira do Turismo Português, no dia 27 de setembro, na Fundação Champalimaud, em Lisboa.

Após dois anos de pandemia, que nos obrigou a adaptar o nosso habitual modelo de Cimeira, voltamos a reunir de forma alargada e num mesmo local os principais intervenientes do Turismo em Portugal, naquela que é a reunião magna da atividade turística em Portugal.

A pandemia e a Guerra na Ucrânia têm sido responsáveis por um período muito difícil para a economia. Ainda assim, a resiliência de todos os intervenientes da atividade turística tem contribuído para minimizar impactos e manter o Turismo forte e competitivo, como motor da economia portuguesa.

Mas o mundo mudou muito nestes dois anos e o Turismo tem de se adaptar às novas realidades. Por isso escolhemos para tema desta edição “O Turismo e o Novo Mundo”. É com base nesta temática que as principais figuras do Estado português e um vasto conjunto de oradores nacionais e internacionais, privados e públicos, irão debater de que forma o Turismo se deve adaptar à nova realidade que hoje vivemos.

É importante por isso discutir os dossiers estratégicos para o Turismo à luz deste novo mundo, como o novo aeroporto e o paradigma da mobilidade; a sustentabilidade e digitalização, o financiamento e custos de contexto; passando pelos desafios da promoção e a captação de profissionais para o Turismo.”

Aceda aqui ao programa e ao formulário para inscrição

Divulgação

Call UE Crescimento Sustentável e Resiliência no Turismo – ação de informação

Caros Associados,
Remetemos abaixo informação relevante, do Turismo de Portugal relativa ao assunto em epígrafe:

“Exmos/as Senhores/as,

A Comissão Europeia lançou no passado dia 6 de setembro, uma call “Crescimento Sustentável e Resiliência no Turismo – Capacitação das PMEs para concretizar a dupla transição”, no valor global de €20 milhões. O prazo limite para a apresentação das candidaturas termina no próximo dia 30 de novembro de 2022.

Este financiamento faz parte da estratégia geral de recuperação da COVID-19 para um ecossistema de turismo sustentável e visa equipar e capacitar as PME nos seus processos esforços de transição dupla, de acordo com o Tourism Transition Pathway, enquadrado na Atualização da Estratégia Industrial UE.

Em geral, visa acompanhar a recuperação prospectiva do ecossistema do turismo, apoiando a transformação digital e verde das empresas de turismo, em particular das PME, inclusive através de consórcios de organizações de partes interessadas relevantes do turismo. , e impulsionar a inovação, resiliência, sustentabilidade e qualidade em todo o a cadeia de valor do turismo. A atividade também pode incluir o apoio financeiro a (por exemplo, PMEs e matchmaking B2B).

Objetivos

  1. Melhorar a resiliência e a competitividade das PME no setor do turismo através de uma melhor aplicação dos princípios de sustentabilidade (incluindo através da utilização de ferramentas existentes, como o rótulo ecológico da UE para alojamento turístico), inovação, ferramentas e dados digitais e através de uma melhor capacidade de considerar, avaliar e monitorar os impactos ambientais e socioeconômicos dos serviços e atividades de turismo;
  2. Novos modelos de negócio do turismo que assentam na digitalização, novas tecnologias, sustentabilidade, circularidade, inclusão, experiências autênticas e culturais e envolvimento das comunidades locais;
  3. Cooperação reforçada ao longo da cadeia de valor do turismo;
  4. Melhor cooperação transnacional e transfronteiriça, transferência de conhecimento e aprendizagem entre pares;
  5. Apoiar a recuperação do ecossistema do turismo após a crise do COVID-19, desenvolvendo e compartilhando as melhores práticas para investimentos de recuperação de longo prazo para uma transição verde e digital.

Atividades financiadas:

  • Compilação de boas práticas UE num único documento.
  • Capacitação para PMEs de turismo: i) apoio técnico e financeiro às PME onde deve ser feita uma seleção de pelo menos 50 projetos inovadores, podem receber este apoio financeiro através de um “montante fixo” e podem contar com apoio técnico e aconselhamento; ii) formação e transferência de conhecimentos para as PME do turismo para as ajudar a desenvolver produtos turísticos novos, inovadores, sustentáveis ​​e inclusivos.
  • Capacitação de ecossistemas turísticos locais apoiando bons exemplos de ecossistemas locais que queiram atuar como referência no desenvolvimento de soluções inovadoras em turismo sustentável e inovador.

Orçamento:
Orçamento disponível indicativo: 20.500.000 euros.
Os orçamentos dos projetos estão estimados entre 2.000.000 e 4.000.000 euros.
100 por cento do financiamento é fornecido para os custos de prestação de apoio financeiro a terceiros e 90 por cento para outras categorias de custos

A informação sobre a mesma encontra-se disponível no seguinte site: https://eismea.ec.europa.eu/funding-opportunities/calls-proposals/sustainable-growth-and-building-resilience-tourism-empowering-smes-carry-out-twin-transition_en

Evento NECSTOUR

Adicionalmente, de forma a promover um melhor conhecimento e aumento da capacidade de eficácia na candidatura, informa-se que no próximo dia 16 de setembro, às 9h (fuso de Lisboa, 10h de Bruxelas), a NECSTOUR irá realizar um “Brokage Event” dedicado precisamente à explicação deste call, sendo que convidou este TP a assistir (apesar de ser um evento exclusivo a associados daquela organização) com o objetivo de promover a constituição de um consórcio para o efeito. Neste contexto, caso pretenda assistir ao referido evento, deverá proceder à inscrição prévia na seguinte hiperligação NECSTouR on the Single Market Programme

Divulgação Semanal nº 12

As divulgações semanais dos associados da AHETA!

Caro associado, partilhamos convosco informações que nos chegaram do Turismo de Portugal.

Vistos e autorizações de residência para trabalhar em Portugal com procedimentos mais ágeis

Alterações ao regime jurídico de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros do território nacional, publicadas pela Lei n.º 18/2022, de 25 de agosto, entram em vigor no próximo dia 24 de setembro. 

Genericamente são de destacar a criação de vistos e autorizações de residência para estrangeiros à procura de trabalho em Portugal ou que exercem a sua atividade profissional, de forma remota, em território nacional para entidades patronais no estrangeiro, os chamados nómadas digitais.

Destaque, ainda, para as condições especiais de concessão de vistos a cidadãos de Estados membros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), em resposta aos objetivos do Acordo sobre a Mobilidade celebrado entre aqueles.

A criação do visto de duração limitada para procura de trabalho vem permitir a entrada e permanência de estrangeiros, apenas em território nacional, para procurar trabalho. Com uma duração de 120 dias, prorrogável por mais 60 dias, este visto permite, ainda, o exercício de atividade laboral dependente, até ao termo do visto ou até à concessão da autorização de residência, assim como o requerimento de autorização de residência temporária.

O visto de estada temporária, que permite a entrada e a estada em território nacional por período inferior a um ano, assim como o visto de residência, passam a poder ser emitidos aos nómadas digitais, ou seja, aos estrangeiros que exerçam atividade profissional subordinada ou independente, prestada de forma remota a pessoa singular ou coletiva com domicílio ou sede fora do território nacional, e que demonstrem o vínculo laboral ou a prestação de serviços.

O procedimento de emissão de vistos para nacionais dos Estados membros da CPLP em que esteja em vigor o Acordo sobre a Mobilidade celebrado entre estes é também agilizado, com a dispensa do parecer prévio do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), a consulta direta e imediata das bases de dados do Sistema de Informação Schengen (SIS), e a recusa da emissão do visto aplicar-se só no caso de constar no SIS indicação de proibição de entrada e permanência.

A permissão para o exercício da atividade laboral enquanto o pedido de autorização de residência se encontrar pendente, por causa não imputável ao requerente, a permissão de exercício de atividade laboral subordinada ou independente complementar para titulares de autorização de residência para investigação, estudo, estágio profissional ou voluntariado, o alargamento da duração das autorizações de residência para estagiários e o alargamento do período de duração do cartão Azul UE (concedido a nacionais de um Estado terceiro para o exercício de atividade altamente qualificada), são também alterações da Lei n.º 18/2022.

Como medida de simplificação, há lugar à atribuição automática do número de identificação de segurança social, do número de identificação fiscal e do número nacional de utente, aos cidadãos estrangeiros com pedido de visto para trabalhar em território nacional, bem como outro título que regularize a sua situação em Portugal, uma vez esse procedimento é comunicado pelos serviços competentes à segurança social, à Autoridade Tributária e Aduaneira e aos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, E. P. E., assim como ao Instituto de Emprego e da Formação Profissional, I. P., para efeitos de inscrição.​

Aviso n.º 08/C16-i02/2022 – Internacionalização via E-commerce

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Está aberto um aviso de concurso do IAPMEI, na qualidade de beneficiário intermediário, para apoio à Internacionalização via E-commerce, medida do programa Comércio Digital da Componente 16 – Empresas 4.0​​​ integrada na dimensão Transição Digital do PRR – Plano de Recuperação e Resiliência.

A AICEP, E.P.E. é a entidade gestora pré-designada para a execução desta medida. 

Aviso n.º 08/C16-i02/2022, com uma dotação de 4,5 milhões de euros, concede apoios a projetos individuais de PME que, suportados em Planos Detalhados de E-commerce Internacional, visem a concretização de estratégias de internacionalização digital baseadas na implementação de tecnologias e processos associados às tecnologias digitais que configurem ajustamentos aos modelos de negócio internacionais, anulando barreiras geográficas e introduzindo alterações na relação entre os vários intervenientes na cadeia de valor, bem como com o cliente. Os projetos devem integrar a presença direta nos canais online, designadamente a criação de lojas próprias e/ou adesão a marketplaces, bem como o desenvolvimento de campanhas de promoção online.

O concurso potencia a experiência e o conjunto de serviços de suporte aos processos de internacionalização das PME já disponibilizados pela AICEP, E.P.E., nomeadamente através do programa Exportar Online, centrando-se em duas prioridades:

Novas Exportadoras – sensibilização, capacitação e consultoria a PME novas exportadoras, com o objetivo de promover a sua internacionalização por canais digitais;

Mais Mercados – apoio individualizado para a promoção digital orientado à diversificação de mercados para empresas que já tenham experiência internacional consolidada.

// Âmbito geográfico

Projetos localizados em todo o território nacional.

// Beneficiários

PME, de qualquer natureza ou sob qualquer forma jurídica.

As empresas devem obter ou atualizar a Certificação Eletrónica do estatuto PME através do portal IAPMEI. 

// Procedimentos prévios

Previamente à submissão da candidatura, a empresa deve solicitar o seu Diagnóstico E-commerce no website Portugal Exporta, da AICEP, E.P.E., e as empresas com Diagnóstico já realizado devem proceder à sua atualização.

O resultado da avaliação e outputs de recomendações deste Diagnóstico têm como objetivo fornecer orientações para a elaboração de um Plano detalhado de E-commerce Internacional que deve suportar o plano de investimentos da candidatura ao presente Aviso.

Para efeitos da elaboração do Plano E-commerce Internacional deve ser seguida a estrutura e os termos de referência definidos no Anexo I do Aviso de Abertura de Concurso (AAC). As PME candidatas podem também optar pela apresentação autónoma do seu Plano ou solicitar os serviços disponibilizados pela AICEP, E.P.E., através da plataforma ​MyAICEP, para a qual é necessário registo prévio.

A AICEP, E.P.E.​​, disponibiliza, sempre que necessário, o acesso a módulos de capacitação e formação em E-commerce que se revelem adequados à definição do plano de ação da PME candidata.

// Tipologias passíveis de financiamento 

Novas Exportadoras – projetos de internacionalização promovidos pelas PME que obtenham uma pontuação final igual ou superior a 20 pontos e inferior a 75 pontos no resultado do Diagnóstico E-commerce realizado.

Mais Mercados – projetos de internacionalização promovidos pelas PME que demonstram melhores condições para promover o alargamento e a diversificação de mercados de exportação através de canais digitais, traduzidas numa pontuação final igual ou superior a 75 pontos obtida no resultado do Diagnóstico E-commerce realizado.

// Financiamento

_ incentivo não reembolsável

_ taxa de comparticipação de 50% sobre as despesas elegíveis

_ limiares mínimos e máximos de despesa elegível:

_ entre 10.000 € e 25.000 €, para projetos enquadrados na tipologia Novas

Exportadoras;

_ entre 25.000 € e 85.000 €, para projetos enquadrados na tipologia Mais Mercados.

// Candidaturas

Na plataforma Balcão dos Fundos.

Formulário de candidatura a disponibilizar brevemente.

// Prazo

Até à receção do número de candidaturas limite apurado em função da dotação orçamental.
​Para informação adicional consulte o Aviso n.º 08/C16-i02/2022, disponível em Ligações Externas.

Eficiência hídrica e energética nos empreendimentos turísticos

​Relembramos, tal como mencionado na divulgação semanal nº 5, que o projecto AQUA+ Hotéis disponibiliza formação qualificada de Gestores de Eficiência Hídrica de Hotéis, para aumentar o conhecimento dos colaboradores na identificação e implementação de medidas de eficiência hídrica e ligação à eficiência energética. Para saber mais poderá ser consultada a página do Curso de Gestores e Auditores AQUA+ Hotéis ou subscrevam a newsletter para informação sobre as próximas datas de realização.

Relembra-se ainda das condições especiais para a emissão da 1ª Classificação AQUA+ em vigor até dia 30 de setembro50% de desconto (aplicável sobre o custo da emissão da 1ª classificação após auditoria de concessão).
O interesse pode ser registado no formulário “Pioneiros AQUA+ Hotéis”

Divulgação Semanal nº 11

As divulgações semanais dos associados da AHETA!

AHETA ASSINA PROTOCOLOS COM EMPRESAS PARA APOIO AOS SEUS ASSOCIADOS        

Procurando proporcionar melhores condições de apoio nas áreas económica e financeira, a AHETA escolheu dois parceiros, nestas áreas para apoiarem os nossos associados.

Assim, as empresas GTE e a FNWAY, estão, a partir de hoje à disposição dos associados para lhes prestarem todo o apoio na identificação de fontes de financiamento à atividade, preparação e acompanhamento de candidaturas e todas as ações julgadas necessárias.

Continuando a procurar parcerias que sejam vantajosas para os associados da AHETA, assinámos também um protocolo de colaboração com a empresa W4M Digital Solutions, com vista a apoio da AHETA e dos seus associados na área da tecnologia digital como WIFI media, Digital Signage, Hospitality Services entre outros.

Albufeira, 02 de Setembro 2022

Hélder Martins
Presidente

Divulgação semanal nº 10

Um minuto por dia, vamos fechar a torneira à seca

Caros associados,

Na sequência da reunião realizada no dia 20 julho, a APA disponibilizou os materiais da campanha de sensibilização “Um minuto por dia, vamos fechar a torneira à seca”.

Pedimos que acedam à página Portal da Água (link abaixo) onde podem encontrar material (banners, cartazes e folhetos) em Português e Inglês para imprimirem e divulgarem nas vossas unidades .

Link Portal da Água

Questionário sobre Avaliação de Desempenho na indústria hoteleira

Caro Associado, foi-nos solicitado colaboração por uma equipa de investigados do ISEG e da UAlG, que estão a desenvolver um projecto académico na área da Avaliação de Desempenho em hotiés de 4 e 5* no Algarve.

Participe, preenchendo o inquérito no link abaixo.
O tratamento dos dados não implica qualquer menção às unidades hoteleiras ou aos gestores que responderam ao questionário.
Questionário sobre Avaliação de Desempenho na indústria hoteleira (google.com)

Divulgação Semanal nº9

As divulgações semanais dos associados da AHETA!

Pré Aviso de Greve – 15 de Agosto 2022 – Hotel Tivoli Marina Vilamoura

Caros associados, para vosso conhecimento segue em anexo o Pré-aviso de Greve para o dia 15 de Agosto de 2022.

Revista DOIS

O Sul Informação apresenta uma novidade!
Pela primeira vez, irá ter um formato impresso. Não será um jornal, mas
sim uma revista.
A revista será intemporal, com um conteúdo que incluirá grandes entrevistas a
nomes importantes do mundo cultural com ligações ao Algarve, reportagens de
fundo sobre temas estruturantes para a região, crónicas assinadas por grandes
nomes, fotografia de alta qualidade, dicas de Lifestyle.
Com um papel de gramagem superior, o grafismo está a ser trabalhado por
uma conceituada empresa de design sediada no Algarve.
E como se chamará esta nova revista? Será a “Dois”.
Será muito mais que uma revista, será um objeto para guardar! Não será algo
descartável, mas sim uma revista para ler e reler sempre que se desejar. E
guardar.

Convite à apresentação de propostas europeias: Turismo Sustentável

Serve o presente para vos dar conhecimento sobre os seguintes convites para apresentação de propostas:

  • 2ª Convocatória de Projetos do INTERREG Euro-MED: Valorização do Turismo Sustentável – até 27 out 2022
  • Convite à apresentação de propostas: Climate Change Adaptation: Water – até 04 out 2022 no âmbito do Programa LIFE / CINEA
  • Towards a zero-emission building stock: strengthening the enabling framework for deep renovation – até 16 de novembro de 2022 no âmbito do Programa LIFE / CINEA

2ª Convocatória de Projetos do INTERREG Euro-MED – até 27 out 2022

Programa INTERREG Euro-MED co-financiado pela Comissão Europeia

No âmbito deste programa podem candidatar-se como parceiros do consórcio as regiões portuguesas: Algarve, Alentejo, Lisboa.

As restantes regiões do país podem candidatar-se como parcerios-associados.

Objetivos:

O principal objetivo do Interreg Euro-MED 2021-2027 é contribuir para a transição para uma sociedade climaticamente neutra e sustentável, reverter o impacto das alterações globais nos recursos do Mediterrâneo e promover o crescimento sustentável e o bem-estar dos cidadãos.

O Programa INTERREG Euro-MED dá especial ênfase à VALORIZAÇÃO DO TURISMO SUSTENTÁVEL. O turismo é um setor chave nos nossos territórios, quer ao nível da proteção e valorização dos recursos naturais e culturais, quer no apoio à sua recuperação. Esta missão tem os seguintes objetivos específicos (Os projetos apresentados têm de contribuir para um dos objetivos específicos):

SO 1.1 ”Desenvolver e potenciar as capacidades de investigação e inovação e a adoção de tecnologias avançadas (Prioridade: Mediterrâneo Inteligente):

_ melhorar as capacidades de inovação, competitividade e internacionalização das PMEs ligadas ao turismo;

_ fortalecer as Estratégias de Especialização Inteligente, promover tecnologias avançadas (a digitalização é agora mais do que nunca um facilitador de uma economia sustentável) e inovações não tecnológicas no setor do turismo;

_ fortalecer a cooperação entre os atores da hélice quádrupla no setor de turismo, considerando a dimensão ambiental em suas atividades;

_ reforçar o turismo como um setor de crescimento que apoia as iniciativas ambientais e de mudança climática e representa um importante potencial de emprego;

_ apoiar novos modelos de negócio orientados para a geração de valor partilhado e indústrias culturais e criativas num contexto pós-Covid.

SO 2.6 “Promover a transição para uma economia circular e eficiente em termos de recursos” (Prioridade: Mediterrâneo Verde)

_ reduzir o impacto ambiental do atual sistema de produção linear; recursos naturais e a sobre exploração atual;

_ reduzir a produção de resíduos e suas externalidades, transformando o resíduo em um recurso;

_ incentivar a adoção de um modelo económico mais sustentável, baseado na bio economia circular, promovendo o turismo sustentável;

_ explorar as novas oportunidades económicas oferecidas pelo modelo de economia circular para o sector do turismo;

_ cultivo da filosofia de ‘reutilização’ nas áreas turísticas.

SO 2.4 “Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção do risco de catástrofes, resiliência, tendo em conta abordagens baseadas nos ecossistemas” (Prioridade: Mediterrâneo Verde)

_ Fomentar modelos de turismo sustentável que garantam a proteção do ambiente, incluindo os recursos naturais e o património cultural;

_ Responder à questão central das alterações climáticas para o futuro das regiões mediterrânicas (aquecimento acelerado);

_ Insistir na proteção do meio ambiente tendo em vista tanto a pressão das atividades humanas e/ou as mudanças climáticas;

_ melhorar as abordagens baseadas em ecossistemas para prevenir desastres e melhorar a resiliência;

_ Melhorar a prevenção e mitigação de riscos;

_ Promover a importância da transição energética no contexto das alterações climáticas;

_ Combater os efeitos das alterações climáticas na saúde;

_ Envolver os cidadãos na transição mais verde de áreas habitacionais com elevado valor turístico.

SO 2.7 “Aprimorar a proteção e conservação da natureza, biodiversidade e infraestrutura verde, inclusive em áreas urbanas e reduzir todas as formas de poluição” (Prioridade: Mediterrâneo Verde) Neste objetivo específico é espectável:

_ consolidar a ligação dos ecossistemas naturais com elevado ativo turístico a nível transnacional;

_ garantir corredores ecológicos para impulsionar e preservar a biodiversidade;

_ reforçar a gestão sustentável e eficiente e a forte proteção das áreas protegidas;

_ trabalhar além das áreas protegidas para combater a poluição, a pesca excessiva e as mudanças climáticas;

_ melhorar a restauração dos ecossistemas terrestres e marítimos degradados pelas atividades turísticas;

_ promover a conservação adequada da biodiversidade costeira e marinha em áreas turísticas; _ apoiar a visão da conservação da biodiversidade como valor económico e social.

Podem candidatar-se três tipos de projetos: projetos de estudo, teste e transferência:

_ Projetos de estudo realizam análises sobre uma questão temática e abrem as portas para o desenvolvimento de novos instrumentos, políticas, estratégias e planos de ação.

_ Projetos de teste experimentam instrumentos, políticas, estratégias e planos de ação comuns já desenvolvidos para validar soluções concretas a serem transferidas.

_ Projetos de transferência otimizam e compartilham instrumentos, políticas, estratégias e planos de ação comuns validados para que os stakeholders os adotem.

Os projetos devem ser complementares com outras iniciativas, estratégias e prioridades estabelecidas a nível regional, nacional e europeu como por exemplo: Declaração Ministerial sobre Economia Azul;  Comunicação sobre Economia Azul Sustentável (DG MARE); Estratégia macrorregional Eusair; Estratégia macrorregional Eusalp; Iniciativa WestMED (estratégia para bacias marítimas);  Iniciativa BLUEMED; Estratégia da UE para o Turismo Sustentável; outros programas Interreg abrangendo todas as margens do Mediterrâneo e programas temáticos relevantes da UE (ADRION, NextMED, Horizon Europe, LIFE…)

Grupos-alvo: entidades envolvidas na formulação de políticas, em particular, no contexto da missão “TURISMO SUSTENTÁVEL”, como: Autoridades locais, regionais e nacionais com competências relacionadas ao turismo, gestão de recursos e resíduos, planejamento urbano, transporte e questões ambientais; PMEs e operadores económicos do setor do turismo; Organizações de apoio empresarial; Universidades, instituições de ensino superior e centros de pesquisa; Sociedade civil, comunidades e associações locais, ONGs envolvidas em questões relacionadas ao turismo, consumo, redução de resíduos, preservação do patrimônio cultural e conservação e restauração de ecossistemas; Organizações de Gestão de Destino; Agências de gestão de turismo; Organizações/órgãos de gestão de energia; Centros e organizações de pesquisa; Organizações de reciclagem; Operadores de infraestrutura (Autoridades Portuárias, Áreas Marinhas Protegidas, etc.).

Neste quadro, todos os projetos temáticos terão de participar na elaboração conjunta de material pedagógico e terão de produzir pelo menos um pequeno vídeo de apresentação a publicar na secção de recursos da Academia.

Quem pode participar: 69 regiões pertencentes a 10 Estados-Membros da UE e a 4 países do Instrumento de Assistência de Pré-Adesão (IPA).

A saber:

_ Estados membros da EU: Bulgária (todo o país); Croácia (todo o país); Chipre (todo o país); França (Córsega, Occitânia, Provence Alpes Côte d’Azur, Rhône-Alpes); Grécia (todo o país); Itália (Abruzzo, Puglia, Basilicata, Calabria, Campania, Emilia-Romagna, Friuli-Venezia Giulia, Lazio, Liguria, Lombardy, Marche, Molise, Piemonte, Sardenha, Sicília, Toscana, Umbria, Valle D’Aoste, Veneto); Malta (todo o país); Portugal (Algarve, Alentejo, Lisboa); Eslovénia (todo o país); Espanha (Andaluzia, Aragão, Baleares, Castilla-la-Mancha, Catalunha, Extremadura, Comunidad de Madrid, Murcia, Valencia, Ceuta e Melilla)

_ Países da IPA: Albânia (todo o país); Bósnia-Herzegovina (todo o país); Montenegro (todo o país); República da Macedônia do Norte (todo o país)

Como se candidatar: As candidaturas devem ser submetidas através da ferramenta de monitorização online do Programa, Jems (Joint Electronic Monitoring System) no seguinte endereço: https://jems.interreg-euro-med.eu/ .

Orçamento total: 21M euros / Taxa de financiamento: 80%
Nr projeto a financiar: 10 a 12

_ Orçamento total por projeto de estudo não deve exceder 600.000 euros / Duração do projeto de estudo: máximo 27 meses;

_ Orçamento total por projeto de teste não deve exceder 3.000.000 euros / Duração do projeto de teste: máximo 33 meses;

_ Orçamento total por projeto de transferência não deve exceder 1.000.000 euros / Duração do projeto de transferência: máximo 27 meses.

Data limite para apresentação de proposta: 27 de out de 2022, às 12 horas portuguesas.

Ponto de contacto – Agência de Desenvolvimento e Coesão: Raquel Rocha – raquel.rocha@adcoesao.pt; Olivério Graça – oliverio.graca@adcoesao.pt; Pedro Serrão – pedro.serrao@adcoesao.pt

Mais informação:

Terms of Reference: https://interreg-euro-med.eu/wp-content/uploads/documents/calls/call-2-thematic-projects/Sustainable%20Tourism%20ToRs.pdf

Courtesy Application Form: https://interreg-euro-med.eu/wp-content/uploads/documents/calls/call-2-thematic-projects/euro-med02_courtesy-af-with-instructions_en.pdf

Documentos do projeto: https://interreg-euro-med.eu/en/documents-tools/

Towards a zero-emission building stock: strengthening the enabling framework for deep renovation – até 16 de novembro de 2022

Life Programme – European Climate, Infrastructure and Environment Executive Agency (Cinea)

Objetivos:

Este tópico visa aumentar o nível de desempenho energético alcançado após a renovação do edifício e o número de ‘renovações profundas’. Isso requer enfrentar os obstáculos à renovação profunda, que estão presentes em diferentes níveis.

Quando a renovação profunda não pode ser implementada em uma única etapa, a renovação profunda encenada é uma opção que deve ser promovida por meio de políticas públicas. Implica que as medidas implementadas cumpram uma estratégia de renovação profunda a longo prazo do edifício, evitando assim efeitos de aprisionamento.

Os passaportes de renovação são essenciais para apoiar a renovação e a proposta de reformulação da EPBD (Energy Performance of Buildings Directive) estabelece um quadro para a sua introdução pelos Estados-Membros. A sua implantação deve ser apoiada em estreita ligação com certificados de desempenho energético e balcões únicos para a renovação de edifícios.

Atividades elegíveis:

As propostas devem potenciar uma renovação profunda, abordando uma das seguintes áreas; abordar várias áreas não aumenta necessariamente a relevância da proposta.

Independentemente da(s) área(s) escolhida(s), as propostas devem ser bem adaptadas ao contexto de ação em termos de segmento(s) de construção e tipologia(s), zona(s) climática(s) e condições legais, administrativas, económicas, de mercado ou sociais , e bem alinhadas com as iniciativas nacionais e/ou locais em vigor ou em desenvolvimento.

As propostas também devem envolver os principais interessados ​​relevantes para as atividades e demonstrar a mais-valia das abordagens propostas.

1. Passaportes para reforma de prédios;

2. Adaptar os quadros jurídicos, administrativos e de financiamento para uma renovação profunda;

3. Melhor coordenação dos atores do mercado para proporcionar uma renovação profunda.

Quem se pode candidatar:
Pessoas jurídicas (órgãos públicos ou privados) estabelecidas em um dos países elegíveis, ou seja: – Estados-Membros da UE (incluindo países e territórios ultramarinos (PTU)); -países do EEE listados e países associados ao Programa LIFE

Orçamento total: 6.000.000
Orçamento por projeto: 1.750.000
Taxa de financiamento: 95%

Data limite para apresentação de proposta: 16 de nov de 2022

Para questões específicas sobre este subprograma no âmbito do Programa LIFE, poderá contactar o ponto de contacto nacional designado:

Subprograma «Transição para energias limpas» | Isabel Soares e Paula Gomes, DGEG (isabel.soares@dgeg.gov.ptpaula.gomes@dgeg.gov.pt); Ana Vasconcelos, LNEC (avasconcelos@lnec.pt)

Mais informação: Funding & tenders (europa.eu)

Convite à apresentação de propostas: Climate Change Adaptation: Water – até 04 out 2022

Este convite á apresentado no âmbito do Programa Life – European Climate, Infrastructure and Environment Executive Agency (Cinea)

Objetivos:

As mudanças climáticas estão a ter efeitos de longo alcance, desde incêndios florestais sem precedentes, ondas de calor, secas ou outros eventos extremos até processos como a desertificação, perda de biodiversidade, acidificação dos oceanos ou aumento do nível do mar.

Os projetos desta vertente devem ajudar a:

_ garantir o progresso contínuo no aprimoramento da capacidade de adaptação, fortalecimento da resiliência e redução da vulnerabilidade às alterações climáticas, conforme exigido pelo Artigo 5 da Lei Climática Europeia;

_ alcançar a visão de longo prazo da Estratégia da UE para a Adaptação às Alterações Climáticas que visa em 2050, ser uma sociedade resiliente ao clima e totalmente adaptada aos impactos inevitáveis ​​das alterações climáticas.

Mais especificamente, os projetos no âmbito desta call devem apoiar o seguinte objetivo estratégico:

_ tornar a adaptação mais inteligente (melhorar o conhecimento, gerir a incerteza e informar sobre ações de adaptação através de meios de gestão de dados e ferramentas de avaliação de risco que estão disponíveis para todos);

_ tornar a adaptação mais sistémica (incorporar indicadores de resiliência climática em todos os campos políticos relevantes, porque as alterações climáticas têm impactos em todos os níveis da sociedade e em todos os setores da economia);

_ tornar a adaptação mais rápida (desenvolver e implementar soluções de adaptação que nos permitem adaptar de forma mais rápida e abrangente).

Além disso, os projetos devem ter o cuidado de evitar a desadaptação, ou seja, ações ou práticas de adaptação dirigidas a um grupo de pessoas e que de fato as tornem mais vulneráveis ​​às mudanças climáticas do que antes, agora ou no futuro.
Para contribuir para estes objetivos, os projetos devem demonstrar uma lógica de intervenção clara e convincente que detalhe:

_ os riscos e vulnerabilidades climáticas específicos a serem abordados;

_ a adequação das opções e métodos de adaptação propostos para minimizar os riscos e vulnerabilidades identificados;

_ a implementação dessas opções e métodos durante a duração do projeto, e

_ a abordagem para monitorizar e avaliar os resultados, inclusive após a duração do projeto.

Para obter mais orientações sobre essas quatro etapas, os candidatos são fortemente encorajados a consultar a Ferramenta de Apoio à Adaptação fornecida no portal da web Climate-ADAPT20

Por fim, o LIFE call 2022 também incentiva projetos que:

_ estabeleçam sinergias com a Missão da UE ‘Adaptação às Mudanças Climáticas’, o Plano de Metas Climáticas 2030, o Pacto de Autarcas da UE, o Pacto Europeu pelo Clima, a Estratégia de Biodiversidade para 2030, Gestão Europeia do Risco de Desastres ou outras políticas e iniciativas relevantes no âmbito do Pacto Ecológico Europeu;

_ estabeleçam em parceria com o setor privado, cidades, redes de cidades, sindicatos, organizações da sociedade civil, instituições educacionais e organizações de pesquisa e inovação;

_ mobilizem financiamento adicional para adaptação e investimentos em resiliência.

Áreas de intervenção: GESTÃO DA ÁGUA

A Europa enfrenta cada vez mais situações de excesso ou falta de água, e as alterações climáticas agravam o desafio da partilha dos recursos hídricos. Garantir que a água doce esteja disponível de forma sustentável é fundamental para a resiliência climática. Requer mudanças em todos os setores e o uso mais amplo de soluções baseadas na natureza. Também precisamos reduzir drasticamente o uso da água e manter a qualidade da água.

Neste contexto, e com base na Estratégia Comum de Implementação das Diretivas Quadro da Água e Inundações, esta área de intervenção incentiva abordagens e soluções que garantam um abastecimento estável e seguro de água doce de alta qualidade, evitem secas, reduzam o consumo de água, protejam e restaurem zonas húmidas e evitar inundações.

A call LIFE 2022 incentiva, em particular, projetos que:

_ garantam o uso e gestão sustentável da água por forma a ser resiliente ao clima entre setores e fronteiras, através de melhor coordenação de planos temáticos e outros mecanismos, como alocação de recursos hídricos e licenças de água;

_ reduzam o uso de água através do aumento do desempenho de economia de água dos produtos, e do incentivo à eficiência e economia hídrica e da promoção do uso mais amplo de planos de gestão de secas, bem como gestão sustentável do solo e uso da terra;

_ garantam um abastecimento estável e seguro de água potável, incentivando a incorporação dos riscos das mudanças climáticas nas análises de risco da gestão da água.

Impacto esperado

Espera-se que os candidatos definam, calculem, expliquem e alcancem os impactos esperados, conforme descrito no critério de adjudicação “Impactos” (ver secção 9). Todos os projetos LIFE terão de apresentar relatórios sobre os resultados e impactos esperados, tendo em conta os indicadores de desempenho (KPIs). Esses KPIs contribuirão para avaliar o impacto do projeto LIFE em nível ambiental, mas também socioeconómico (por exemplo, por meio de ações com impacto na economia e população locais). Reveja os indicadores na Parte C do aplicativo eGrant e preencha-os com o impacto estimado do projeto. Informações mais detalhadas serão solicitadas durante o projeto.

Orçamento por projeto: €1-5M
Nr de projetos financiados: 14
Co-financiamento: 60%

TIMELINE:
1 – Deadline: 04-OUT-2022 / 17h00 CET
2 – Apresentação dos resultados: fevereiro 2023
3 – Assinatura do acordo: maio/junho 2023

Para questões específicas sobre este subprograma no âmbito do Programa LIFE, poderá contactar o ponto de contacto nacional designado:

Subprograma «Mitigação e Adaptação às alterações climáticas» | Ana Daam e Ana Rita Branco, APA (financiamentoclima@apambiente.pt)

Mais informação: Funding & tenders (europa.eu)

Divulgação Semanal nº 8

As divulgações semanais dos associados da AHETA!

Visita da Secretária de Estado do Turismo Comércio e Serviços à AHETA

A Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Engª Rita Marques estará no Algarve no próximo dia 02 de agosto, integrando a vista uma sessão dedicada ao emprego no Setor do Turismo, com um ponto de situação das medidas de mobilidade de estrangeiros, a apresentar pela Senhora Secretária de Estado.


Esta sessão, dirigida às principais associações do setor na região, seus associados e trade em geral (sujeita à lotação do auditório), e terá lugar das 10h15 às 12h00.


Por questões logísticas é imprescindível a confirmação das presenças, que deverão ser efetuadas para a Região de Turismo do Algarve, através do email marta.alexandre@turismodoalgarve.pt


Pela importância do tema, para todos nós, apelamos à vossa participação.

A FALTA DE ÁGUA NO ALGARVE

No seguimento da problemática da falta de água no Algarve, fomos convidados pela APA para uma reunião de trabalho, subre a falta de água.
Nesta reunião foi-nos, detalhadamente, explicada a situação que, como todos sabem é muito grave.
Foi-nos garantido que, em condições normais, teríamos água para consumo humano até outubro de 2023. Nos restantes setores, se não chover no próximo inverno em quantidade suficiente, irão continuar os cortes, que já se verificam.
Ficou acordado que iríamos aderir à campanha que foi lançada na passada sexta-feira, sendo o anúncio em divulgação adaptado a bilingue para podermos passar nos hotéis, nos nossos canais de tv internos, distribuir aos clientes, etc, sempre com o objetivo de sensibilizar para a redução do consumo.
Abordámos temas como a não mudança diária de toalhas de banho, fechar torneiras sempre que não estão em uso, controlar perdas, efetuar regas de jardins e relvados à noite, reduzir áreas verdes a regar, caso não sejam vitais para a imagem do empreendimento, etc.
Assim, gostávamos de vos sensibilizar para este tema e, logo que tenhamos os elementos da campanha, vos faremos chegar.
Gostaria de reafirmar que em momento algum foi referida a hipótese de cortes de água pelo que as notícias que saíram no passado fim de semana foram alarmistas e sem fundamento.
Apelamos a todos que tentem implementar o máximo de soluções de consumo pois as reservas de água quer nas barragens quer nos aquíferos estão nos mínimos. E se não pouparmos, não teremos!

Hélder Martins
Presidente

Projeto Internacionalização do ATH

No seguimento da reunião de trabalho realizada no dia de ontem,  26/07/2022, referente à apresentação do Projeto Internacionalização do Algarve Tech Hub (ATH),  no âmbito do SIAC – Internacionalização / Programa Operacional Regional do Algarve, somos a partilhar a respetiva apresentação.

O projeto engloba um conjunto de atividades de apoio à internacionalização das empresas do setor tecnológico da região do Algarve, em que destacamos:

– Realização de ações de sensibilização e capacitação para a Internacionalização da rede colaborativa da Algarve Tech Hub (ATH); 

– Participação da ATH na Web Summit Lisboa, de 1 a 4 de Novembro de 2022; 

– Realização de ações de prospeção internacionais aos mercados Alemanha e EUA;

– Realização de missão de reconhecimento internacional ao Algarve de empresários dos mercados da Alemanha e EUA, com vista ao estabelecimento de acordos de parceria com as empresas tecnológicas da região do Algarve.

A participação das empresas nas atividades do projeto é gratuita, de acordo com as condições estabelecidas no projeto. 

As empresas interessadas devem proceder ao preenchimento do formulário de ADESÃO AO PROJETO 

Questionário Ualg

Caros Associados, a pedido da Universidade do Algarve segue abaixo link para participação de um questionário da Ualg, no âmbito de uma dissertação do Mestrado em Turismo da Universidade do Algarve que tem como objetivo conhecer as práticas de sustentabilidade e de economia circular mais frequentemente adotadas pelas empresas de alojamento turístico em Portugal.

Neste sentido, pedimos encarecidamente o vosso apoio na partilha do Questionário junto dos alojamentos turísticos afiliados na vossa Associação, através do seguinte link: https://forms.office.com/r/CbZJaHCB5A.

O preenchimento do questionário tem uma duração estimada de 10 minutos.

Os dados recolhidos serão tratados de forma agregada, não permitindo a identificação de empresas específicas, sendo garantido o tratamento confidencial dos dados.

Se necessitarem de algum esclarecimento adicional em relação à participação ou ao preenchimento do formulário, é favor contactar Samara Santiago através do seguinte e-mail:a70084@ualg.pt

Circular


1 – Racionamento de água aos empreendimentos turísticos

Na passada sexta-feira, fomos surpreendidos com notícias dando conta de um racionamento de água aos empreendimentos turísticos, na sequência de um eventual acordo com empresários do setor.

Desconhecendo outras eventuais reuniões, a AHETA foi convidada, pela APA, para uma reunião, onde também participaram a RTA, AHISA e área dos golfes, na qual nos foi apresentado o ponto de situação dos recursos hídricos, quer de superfície quer aquíferos, a qual é muito grave e preocupante.

Foi-nos garantida a existência de água de consumo humano até outubro de 2023, sendo que no tocante às outras áreas, como piscinas e jardins, todos deveríamos fazer um esforço no sentido da redução do consumo de água.

A nossa resposta foi de que de fato já estamos a fazer esse esforço e pretendemos continuar. Acordámos aderir à campanha de comunicação da APA no sentido de incentivar a poupança, sendo a imagem adaptada a bilingue para que possamos comunicar, nas nossas unidades, aos clientes.

Mas em nenhum momento foi presente qualquer campanha de racionamento, com eventuais cortes de abastecimento.

Por isso, e em resumo, apelamos a todas as empresas que tentem fazer o possível para ajudarmos na redução de consumos, pois, se não pouparmos, não teremos!

Mas reafirmamos que não estão previstos cortes no abastecimento público de água para consumo humano.

Em breve, logo que tenhamos mais informações e/ou os elementos da campanha, voltaremos ao vosso contacto.

2 – Recursos humanos para a área do turismo

Sendo do conhecimento geral a dificuldade que todos temos em contratar recursos humanos para o setor, a AHETA foi convidada pela OIM – Organização Internacional das Migrações e pela RTA, para integrar duas comitivas que se deslocaram a Marrocos e Cabo Verde, com a finalidade de avaliar as possibilidades de recrutamento de recursos humanos, por um período temporário.

Em ambos os casos ser verificou a possibilidade de podermos contratar, sendo que o processo deveria ter início em outubro, com a identificação, da nossa parte, do número de funcionários a contratar e em que áreas. Esses indicadores seriam comunicados ao IEFP que, por sua vez, contactaria a sua congénere local, para que fosse feito o recrutamento. Caso os empresários o quiserem poderão ir fazer as entrevistas no local. A estrutura local de emprego, em ambos os casos, faria formação prévia dos selecionados, sobre o nosso país, o modelo de trabalho, religião, legislação, línguas, etc e prepararia todo o processo para que em março ou abril os trabalhadores selecionados pudessem vir para o Algarve.

Existem, no entanto, alguns problemas por resolver, como os vistos e o alojamento.

Nas delegações estavam membros do governo e do IEFP português que, em conjunto com a OIM estão a preparar a forma de agilizar estes processos.

Em breve daremos mais notícias.

Divulgação Semanal AHETA nº 7

As divulgações semanais dos sócios da AHETA!

Pedido Colaboração.

Caros Associados, chegou até nós o seguinte pedido de colaboração, que deixamos abaixo.

“O meu nome é José Fernandes e sou Doutorando em Hotelaria e Turismo, com foco na sustentabilidade em hotéis em Portugal, e estou a entrar com contacto com V. Exas. para solicitar a vossa colaboração para uma parte do meu projeto de investigação.

Encontro-me a desenvolver um estudo que analisa as perceções e o conhecimento dos hóspedes sobre as práticas de sustentabilidade implementadas pelos hotéis em Portugal, de forma a determinar se as práticas sustentáveis ​​desempenham um papel fulcral no processo de decisão dos consumidores ao optarem por ficar num hotel. Os resultados deste estudo serão usados ​​para informar os processos de tomada de decisão da gestão hoteleira no que respeita a adaptar e melhorar os padrões de sustentabilidade no futuro.

Nesse sentido, solicito a vossa colaboração para que, se possível, o possam partilhar com as suas equipas e, principalmente, com os seus hóspedes, cujas respostas são fundamentais para o desenvolvimento deste projeto.”

O questionário encontra-se disponível no link seguinte: https://aitbusiness.qualtrics.com/jfe/form/SV_57HtFOAyK3fluGq


WSA Portugal

Vimos por este meio divulgar a iniciativa WSA Portugal, uma competição mundial que distingue projetos digitais inovadores locais com impacto na sociedade. Esta iniciativa envolve todos os anos mais de 180 países, que selecionam cada um 8 projetos nacionais nas 8 categorias a concurso. Estes terão a oportunidade de aceder a uma plataforma mundial que lhes permitirá ganhar projeção global. Terão acesso a uma rede global de startups, empreendedores sociais, mentores, jurados, oradores, peritos, líderes governamentais, academia e sociedade civil.

Os projetos candidatos podem ser liderados por pessoas individuais, empresas de pequena, média e grande dimensão e startups, desde que tenham sido lançados no mercado há menos de dois anos.
Tendo em conta a relevância nacional do setor do Turismo e o seu peso na economia, existem muitas iniciativas inovadoras que poderão ter destaque nesta competição, cuja final decorrerá em março de 2023, no México.
Os projetos vencedores nacionais serão conhecidos no início de set/22.


Mestrados ESHTE

A candidatura para a 3.ª fase dos mestrados da ESHTE, decorre até ao dia 16 de setembro de 2022.

Todas as informações estão publicadas no separador dedicado a cada um dos Mestrado em https://www.eshte.pt/pt/artigos/mestrados.