Turismo de Portugal fez concurso “ilegal” e “viciado” para dar negócio à mesma de sempre

O Tribunal Central Administrativo mandou o Turismo de Portugal anular o contrato de 3,2 milhões de euros adjudicado à Multilem, a única proposta que admitiu a concurso, por esta ter “participado, directa ou indirectamente, na elaboração” do caderno de encargos. Há já cerca de 18 anos que a Multilem, Design e Construção de Espaços monta os stands do Turismo de Portugal nas feiras, tendo sido, mais uma vez, a escolhida pela entidade tutelada pelo Ministério da Economia no último concurso público lançado para o efeito, ganhando um contrato no valor de 3,2 milhões de euros.

Please Login to Comment.